Faça parte de nossos grupos de Whatsapp

Economia

Ações da Taurus sobem mais de 20% após decreto de armas assinado por Bolsonaro

Decreto do presidente facilita o registro, posse, transporte, venda e até importação de armas, além de aumentar o limite de compra de munições

As ações da fabricante de armas Taurus voltaram amanheceram em alta nesta quarta-feira (8), um dia depois de o presidente Jair Bolsonaro (PSL) assinar um novo decreto sobre venda e posse de armas e munições no Brasil.

Às 11h10, as ações da Taurus na Bolsa de Valores de São Paulo, a Bovespa, subiam 22,97%. Na terça-feira, logo após a assinatura do decreto, os papéis fecharam o dia com alta de mais de 10%.

Com a assinatura de Bolsonaro , foram facilitados o registro, posse, transporte e a venda de armas no Brasil. Além disso, o decreto permite a importação de armamentos, hoje proibida no País, e eleva o limite para a aquisição de munições.

Outras mudanças são quanto à posse rural, que permite que a arma alocada nesses locais possa ser usada em toda a extensão da propriedade, e também quanto às munições apreendidas, que agora poderão ficar com os policiais que as pegarem. 

Publicado hoje no Diário Oficial da União (DOU), a medida amplia consideravelmente o porte de armas para um conjunto de 20 profissões como políticos eleitos, servidores públicos que trabalham na área de segurança pública, advogados em atuação pública, caminhoneiros, oficiais de Justiça, profissionais de imprensa que atuam em coberturas policiais, agentes de trânsito, entre outros. 

Presidente Jair Bolsonaro (PSL) assina novo decreto de armas, enquanto senadores e deputados da base aliada comemoramMarcos Corrêa/PR

Veja os principais pontos abaixo

Policial fica com munição

Munições apreendidas podem ficar com polícias. O policial que fizer a apreensão tem preferência para ficar com a munição.

Posse rural

Permite que a arma guardada em imóvel rural possa ser usada em toda a extensão da propriedade. O proprietário poderá usa-la para defesa pessoal.

Quantidade de munições

Determina que poderão ser por pessoas que tenham porte e posse de armas até 5.000 munições por ano por arma de uso permitido e 1.000 para cada arma de uso restrito.

Porte por arma

O porte de arma passa a ser vinculado à pessoa e não mais à arma. Assim, uma pessoa não precisa tirar um porte por arma.

Comércio

Permite a venda de armas, munições e acessórios no comércio, em estabelecimentos credenciados pelo Comando do Exército.

Segurança pública sem limite

Acaba com limite de quantidade e qualidade de armas e munições que instituições de segurança pública poderão adquirir.

Porte por mais tempo

Estabelece que o prazo de validade do registro de armas para 10 anos.

CAC pode usar arma para defesa pessoal

Permite que caçadores, colecionadores e atiradores carreguem arma municiada de casa até o clube de tiro e permite o uso da arma para defesa pessoal.

Praças com arma

Dá direito de porte de armas para praças das Forças Armadas a partir do décimo ano de atividade

Importação liberada

decreto de armas libera a importação de armas e munições mesmo quando há similar no mercado, o que antes era vedado.

Sobre o autor

Jornalista, editor de Painel Político, consultoria e assessoria.
Related posts
Economia

Fecomércio apresenta Proposta para o Desenvolvimento Aéreo de Rondônia ao Prefeito Hildon Chaves

Economia

Governo pressiona com Bolsa Família para aprovar crédito suplementar, "sem ele, programa para em setembro"

Economia

Caixa diz que ganhador de R$ 289,4 milhões é de Pernambuco, mas população desconfia de sorteio

Economia

Número de brasileiros barrados em Portugal mais que dobrou em 2018

Assine nossa newsletter e receba nosso boletim semanal

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Worth reading...
Vídeo mostra execução de procurador da Câmara de Cacoal; um dos assassinos volta e atira várias vezes na cabeça da vítima; veja