Joerli Silvares e Haiub Cordeiro seguem sumidos desde o dia 28 de abril. FAB suspendeu as buscas dois dias depois de iniciá-las, segundo os parentes de um dos desaparecidos

A Justiça negou o pedido de medida cautelar feito pela família de Joerli Silvares, 34 anos, desaparecido desde o dia 28 de abril, após o avião onde estava sumir depois que saiu de Espigão D’Oeste (RO) com destino a Fortaleza (CE). O piloto do avião, Haiub Cordeiro Junior, também sumiu. O objetivo era obter a quebra de sigilo telefônico de Joerli para auxiliar nas buscas.

A esposa de Joerli contou à polícia que a última vez que conversou com o marido foi quando ele encaminhou fotos do sobrevoo e informou que a primeira parada dele e de Haiub seria em Redenção (PA), onde fariam o abastecimento da aeronave. Nesse momento, os desaparecidos já viajavam por cerca de quatro horas.

Para ajudar na delimitação das buscas, a família acionou um advogado para pedir a quebra do sigilo telefônico de Joerli. Com a possibilidade, eles poderiam organizar melhor e até orientar a Força Aérea Brasileira (FAB) nas buscas.

Em um trecho da decisão indeferida, o juiz justifica que tais medidas precisam ser “requeridas pelo órgão competente”. Porém, o advogado da família, Ronaldo Paranha da Silva, entende que, pelo fato dos familiares estarem engajados nas buscas, a Justiça poderia ter tido o entendimento de conceder a quebra do sigilo.

“Entendemos que ao ter engajamento de familiares nas buscas, a quebra de sigilo telefônico ajudaria e muito as autoridades. Mas o doutor magistrado não entendeu dessa forma, julgando improcedente os pedidos da medida cautelar proposta”, explicou Ronaldo.

Buscas suspensas

De acordo com a mãe de Joerli, Marli Silvares Teixeira, a FAB teria interrompido as buscas no dia 13 de maio, dois dias após o início dos trabalhos, pois a aeronave usada nas buscas apresentou um problema.

“Eles nos disseram que houve um vazamento no motor do avião e pararam as buscas. Mas nós não fomos informados se vão enviar outra aeronave, se vão esperar o conserto. Hoje faz 23 dias que meu filho está desaparecido. Estou desesperada. São duas vidas perdidas e a gente não sabe o que aconteceu e nem o que fazer”, lamentou Marli.

Entenda o caso

Joerli Silvares e Haiub Cordeiro Junior sumiram no dia 28 de abril, após viajarem em um avião de pequeno porte de Espigão D’Oeste para Fortaleza (CE). Um dos ocupantes da aeronave, Joerli, mora em Espigão. Já Haiub vive na capital cearense.

A família do acompanhante contou à Rede Amazônica no dia 10 de maio que os dois saíram de Rondônia com previsão de abastecer a aeronave na cidade de Redenção (PA). A segunda e última parada seria em Fortaleza.

Ao notarem a falta de contato de Joerli, os parentes resolveram dar início às buscas por conta própria. Eles alugaram um avião e sobrevoaram a região de Peixoto de Azevedo, localizado no Mato Grosso (MT), local onde a família diz ter sido o último contato feito pelos dois.

Sem notícias, a família de Joerli acionou a Força Aérea Brasileira (FAB) sobre o caso, que confirmou ter sido notificada no dia 7 de maio.

Com G1/RO

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *