Uma pesquisa da Universidade de Purdue, dos EUA, constatou que as baratas estão ficando mais fortes. Publicado na revista científica Live Science, o estudo concluiu que a “barata alemã”, comum em todo o mundo, está nascendo imune a produtos químicos e venenos com os quais não teve contato.

“Baratas que desenvolvem resistência aos múltiplos inseticidas de uma só vez tornarão o controle dessas pragas apenas com produtos químicos quase impossível”, diz Michael Scharf, que liderou o estudo.

A pesquisa foi realizada em diferentes prédios com infestações de baratas nas regiões centrais de Illinois e Indiana (Estados Unidos), e nos laboratórios da universidade de Purdue. Mesmo usando diferentes tipos de sprays e múltiplas gerações de baratas, a conclusão foi a mesma.

Os insetos imunes a múltiplos venenos acabam se tornando um problema aos exterminadores, que costumam usar um coquetel de diferentes inseticidas para que, caso um inseto seja imune a um tipo de inseticida, outro tipo pode derrubá-lo.

Segundo o relatório da Universidade, serão necessárias mais armadilhas do que produtos químicos para evitar que as “baratas imunes” espalhem suas bactérias e doenças, ainda mais considerando que uma barata alemã pode colocar 400 ovos em sua vida.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *