Não é de hoje que apostadores suspeitam dos sorteios da maior loteria do país

A Mega-Sena acumulada pagou no último fim de semana a bolada de R$ 289,4 milhões, para um apostador que teria feito um único jogo pela internet pelo valor de R$ 3,50. Nesta terça-feira a Caixa Econômica Federal informou que o sortudo seria de Pernambuco. Mas, isso não foi suficiente para acalmar as dúvidas e desconfianças de milhares de apostadores em todo o país, que seguem duvidando da lisura do sorteio.

Em portais como o G1, por exemplo, centenas de comentários provam isso. Um dos leitores chegou a afirmar que “a Caixa tem um sistema que sorteia apenas a sequência de números que não foram registrados”, outros mais desconfiados, acreditam que a loteria é uma fraude completa, que serve apenas para ‘lavar dinheiro de político ladrão’.

Muita gente também pede que os sorteios sejam feitos pela televisão, transmitidos ao vivo. Outros gostariam que fosse adotado o sistema das loterias americanas, onde o ganhador aparece recebendo um cheque simbólico no valor do prêmio.

Sorteio é feito com lisura, diz Caixa

Para o gerente nacional de apoio a produtos lotéricos da Caixa, Carlos Leite, essa é uma demonstração da “criatividade” dos brasileiros. “A Caixa é uma empresa conservadora, legalista. As bolinhas são mensuradas, são pesadas, são medidas pelo Inmetro [Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia] a cada três meses. Então, assim, não há como você fazer nada de errado no sorteio”.

Imediatamente depois desse procedimento, as bolas são colocadas nos globos dos sorteios. Após saírem do equipamento, elas são recoladas nas maletas também na presença do público e com a checagem dos auditores. Na sequência, as maletas, já lacradas, são colocadas em um ambiente protegido da Caixa acessível apenas por meio de senha.

Além dos auditores populares e de auditores do Ministério da Fazenda (que não acompanham todos os concursos no local), há uma equipe na sede da Caixa, em Brasília, que, durante e após o sorteio, confere, por meio de vídeo e contato telefônico, todos os movimentos no local. Apenas depois que o processo de auditoria termina na capital federal, o resultado é oficializado no site da Caixa Loterias.

Em nota, o Ministério da Fazenda diz que a fiscalização dos sorteios da Caixa “é realizada regularmente e acontece em todos as etapas, desde a arrecadação até o pagamento do prêmio”. A pasta informa que seus próprios auditores não estão presentes no local em todos os sorteios por causa da “intensa frequência” com que são realizados, o que “impõe a racionalização do uso dos recursos humanos disponíveis”. A preferência é pela presença física em sorteios de “valores consideráveis.

Em 23 de junho do ano passado, uma sequência de números alimentou teorias conspiratórias contra o sorteio. Os números naquele dia foram 50 – 51 – 56 – 57 – 58 – 59.

Probabilidades

A probabilidade de vencer em cada concurso varia de acordo com o número de dezenas jogadas e do tipo de aposta realizada. Para a aposta simples, com apenas seis dezenas, com preço de R$ 3,50, a probabilidade de ganhar o prêmio milionário é de 1 em 50.063.860, segundo a Caixa.

Já para uma aposta com 15 dezenas (limite máximo), com o preço de R$ 17.517,50, a probabilidade de acertar o prêmio é de 1 em 10.003.

Em nota divulgada, a instituição afirma que não repassaria mais informações, nem a cidade onde foi feito o jogo, para manter o sigilo. Este é o maior prêmio entre os concursos regulares da história até o momento.

O concurso 2.150, que ocorreu no sábado (11), em São Paulo, sorteou as dezenas 23, 24, 26, 38, 42 e 49. A Quina teve 838 apostas ganhadoras; cada uma levou R$ 30.450,20. Outras 56.994 pessoas ganharam na Quadra. Neste caso, o prêmio foi de R$ 639,59.

Ainda de acordo com a Caixa, foram feitas 126,3 milhões de apostas nas lotéricas do país e pela internet. Para o próximo sorteio, a expectativa de prêmio é de R$ 3 milhões.

Com informações do G1 e UOL

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *