Cinco mulheres são processadas por cortar à força o cabelo de menina negra em Mogi das Cruzes

Compartilhe
Read Time1 Minute, 32 Seconds

As rés também chamaram a criança de “macaquinha” e disseram que o cabelo dela era “podre”, fazendo referência, de forma pejorativa, à cor da pele e à etnia da criança

 A Justiça aceitou denúncia contra cinco mulheres acusadas de cortar à força e de forma humilhante os cabelos de uma menina negra de 9 anos, em Mogi das Cruzes, região metropolitana de São Paulo. De acordo com o Ministério Público (MP-SP), elas se tornaram rés por injúria e por lesão corporal. A promotora de Justiça Flávia Flores Rigolo também pede que seja fixada indenização por dano moral à criança e à mãe dela. Os relatos foram publicados no jornal O Estado de S.Paulo.

Segundo a denúncia, em dezembro de 2017, Adriana Alves da Silva, Joseli Alves Ferreira, Josélia Alves da Silva, tias da vítima, Nataly Alves da Silva Moreira, prima da criança, e Mayara dos Santos Niculau, esposa de um primo da menina, colocaram-na em uma cadeira e, sem o consentimento dela, cortaram os cabelos de forma desordenada. As rés fizeram cortes rentes com uma tesoura, produzindo lesões no couro cabeludo.

As rés também chamaram a criança de “macaquinha” e disseram que o cabelo dela era “podre”, fazendo referência, de forma pejorativa, à cor da pele e à etnia da criança. 

A mãe registrou queixa na Polícia Civil. 

LEIA TAMBÉM

0 0
Happy
Happy
0 %
Sad
Sad
0 %
Excited
Excited
0 %
Sleppy
Sleppy
0 %
Angry
Angry
0 %
Surprise
Surprise
0 %
Close