Despesas x investimentos em escritórios de advocacia

Read Time4 Minutes, 16 Seconds

Antes de realizar qualquer tipo de corte, é recomendado que se otimize os gastos antes

Assim como qualquer empresa, a saúde financeira dos escritórios de advocacia depende de organização e planejamento. Quando se trata de faturamento, todo escritório passa por momentos menos ou mais delicados. Afinal, o mercado jurídico é bastante competitivo e tanto fatores internos quanto externos influenciam qualquer banca.

Muitos advogados acreditam que o controle financeiro só é necessário quando as contas não fecham. Porém, essa crença é um equívoco. Monitorar o orçamento é essencial para evitar dívidas e problemas financeiros. 

Reduzir as despesas, no entanto, não é algo tão simples quanto parece. Cortes feitos sem estratégia podem comprometer o clima organizacional e afetar a produtividade. Para saber como diferenciar despesas de investimentos na advocacia é preciso conhecer as práticas internas e saber exatamente para onde vão os gastos.

Identificando as despesas do escritório

Antes de realizar qualquer tipo de corte, o advogado precisa conhecer exatamente quais são as despesas do seu escritório. É muito comum que profissionais se espantem com gastos com papel, viagens e até copos descartáveis. Em geral, pequenas despesas passam despercebidas, mas podem consumir uma quantidade significativa do orçamento. O ideal é colocar todos os gastos na ponta do lápis, para então avaliar o que pode ser otimizado, o que deve ser cortado e o que precisa ser alterado.

Identificar todas as despesas é um passo simples, porém, infelizmente, muitos advogados não o fazem e acabam cortando itens que parecem supérfluos, mas que fazem parte do bem-estar dos advogados e contribuem para um bom clima dentro do escritório. Cortar o cafezinho e o ar condicionado são bons exemplos que podem trazer mais malefícios do que benefícios.

Otimização de gastos X cortes

Nenhum funcionário quer investir sua força de trabalho em uma empresa com problemas financeiros. Na advocacia, isso não é diferente. Justamente por isso, quando o sócios optam por cortes, ainda que a intenção seja positiva, os efeitos podem ser negativos e implicar na perda de bons profissionais do time.

Antes de realizar qualquer tipo de corte, é recomendado que se otimize os gastos antes. Se o escritório tem grandes gastos com telefone e internet, por exemplo, renegociar o contrato com a operadora é uma boa maneira de reduzir gastos sem que isso impacte no clima organizacional. Da mesma forma, se o escritório tem despesas significativas com copos descartáveis, por exemplo, uma solução é providenciar canecas e oferecer aos advogados do time. O simples corte de copinhos é visto como uma medida negativa por muitos e mostra que o financeiro não vai bem.

“Foto: Eduardo Macarios”

Ferramentas auxiliam a gestão financeira

A maior parte dos advogados se sente desconfortável com números, planilhas e nem sempre domina conceitos básicos da administração de empresas. Isso, no entanto, não precisa ser um problema. Com o uso um software jurídico, por exemplo, basta incluir os dados financeiros do escritório, que a ferramenta faz o processamento das informações e oferece o controle necessário para que o advogado não se preocupe com sustos no financeiro.

Além de ajudar no controle do fluxo de caixa, o melhor software jurídico também é capaz de mapear exatamente quais são os maiores gastos, ajudando o advogado em seu processo de tomada de decisão.

Produtividade e corte de gastos

Alguns recursos são utilizados para fomentar as atividades de suporte do escritório e não interferem diretamente no dia a dia do advogado. Por isso, é preciso avaliar com cautela quais são os recursos que impactam diretamente no trabalho do time e os recursos que não fazem tanta diferença. Quando os cortes afetam diretamente a rotina é muito comum que a produtividade caia e atualmente esse não é apenas um detalhe no mercado.

Atualmente, na advocacia, a produtividade é um fator de competitividade, logo, é fundamental assegurar um time produtivo antes de simplesmente sair cortando gastos. Ferramentas como o software jurídico devem ser consideradas como investimento, pois, além de significarem um suporte financeiro para controle das despesas, é um recurso que permite ganho de produtividade. Fazendo mais em menos tempo, o advogado consegue se dedicar a tarefas mais estratégicas como a prospecção de clientes.  

Por outro lado, pequenas mudanças como a troca de lâmpadas, por exemplo, podem trazer uma boa economia na conta de luz e praticamente não afeta o dia a dia do advogado.

Todo corte de gastos dentro de um escritório de advocacia deve ser feito de forma planejada. Além de identificar nos gastos o que são despesas e o que é investimento, o advogado deve ter o cuidado de analisar como cada gasto impacta na rotina do time. Infelizmente, não existe uma receita para todos os escritórios. O ideal é colocar na ponta do lápis e avaliar o que, dentro da realidade particular de cada escritório, é investimento ou gasto.  

0 0
0 %
Happy
0 %
Sad
0 %
Excited
0 %
Angry
0 %
Surprise
Close