Detecções de malware em dispositivos móveis diminuem no Android e crescem no iOS

Compartilhe
Read Time2 Minute, 14 Second

No ano passado, as detecções de malware para Android se concentraram na Rússia (15,2%), Irã (14,7%) e Ucrânia (7,5%)

As detecções de malware, em dispositivos móveis, diminuíram no sistema Android e cresceram no iOS em 2019. A analise foi compartilhada pela ESET nesta semana.

Como revelado pela empresa, o Android é o sistema operacional móvel mais utilizado no mundo, concentrando atualmente 76% do mercado. Ainda hoje, a fragmentação devido às várias versões ativas do sistema permanece em vigor. “Esse número de usuários – ou possíveis vítimas – e a variedade do ecossistema é, em parte, o que torna a plataforma o alvo perfeito para os cibercriminosos. Portanto, não deve surpreender que as detecções de código malicioso no Android representem 99% de todos os malwares móveis”, explica.

No ano passado, as detecções de malware para Android se concentraram na Rússia (15,2%), Irã (14,7%) e Ucrânia (7,5%). O primeiro país latino-americano a aparecer no ranking internacional é o México (3%) na sétima colocação, seguido pelo Peru (2%) na décima quarta posição. Se considerarmos apenas as detecções nos países da América Latina, em 2019 os países com as detecções mais altas foram México (25%), Peru (15%) e Brasil (15%).

Para o Android, 514 falhas de segurança foram publicados em 2019, um número que representa uma diminuição de 16% em comparação com 2018. Além disso, o percentual de vulnerabilidades graves também diminuiu, passando a 14% do total (uma redução de 70% desde o ano passado).

Segurança no iOS

Ainda de acordo com informações da ESET, o iOS representa 22% dos dispositivos móveis usados no mundo, tornando-se o segundo sistema operacional móvel com mais usuários.

Para o sistema da Apple, 368 vulnerabilidades foram publicadas em 2019, 194% a mais do que o número de vulnerabilidades encontradas para este sistema operacional em 2018.  As detecções de malware para iOS cresceram 98% em relação ao ano passado.

Em relação à distribuição geográfica, vemos que em todo o mundo elas estão concentradas principalmente na China (44%), Estados Unidos (11%) e Índia (5%). Se focarmos no que está acontecendo a nível regional, veremos seguintes países: México (22%), Peru (18%) e Chile (15%).

Via Metro Jornal Com informações da ESET

Continue lendo…

0 0
Happy
Happy
0 %
Sad
Sad
0 %
Excited
Excited
0 %
Sleppy
Sleppy
0 %
Angry
Angry
0 %
Surprise
Surprise
0 %
Close