Painel Político

Revista, é uma editoria do site Painel Político, e apresenta notícias variadas sobre tecnologia, streaming, variedades, famosos, fatos do cotidiano no Brasil e no mundo.

Diretor de marketing da Victoria’s Secret pede demissão depois da contratação de modelo trans brasileira

Para seus contatos
Read Time1 Minute, 50 Second

Ed Razek, que havia feito declarações contra modelos trans no ano passado, acaba de deixar a grife de lingerie americana

Ed Razek, diretor de marketing da Victoria’s Secret, decidiu deixar seu posto depois que a companhia contratou pela primeira vez uma modelo transexual – a brasileira Valentina Sampaio, de 22 anos. Razek havia sido alvo de críticas no ano passado por conta de declarações dadas à revista Vogue.

Em sua fala, Razek disse que modelos transexuais não deveriam ser chamadas para os desfiles da marca “porque o desfile é uma fantasia”. Na mesma entrevista, disse ainda que modelos plus-size não se encaixavam nos moldes da Victoria’s Secret e que o público não tinha interesse em vê-las. Mais tarde, ele pediu desculpas pelas declarações “insensíveis”. Na época, muita gente pediu que ele renunciasse ao cargo, mas nada aconteceu.

A MODELO TRANSEXUAL VALENTINA SAMPAIO, QUE FOI CONTRATADA PELA VICTORIA’S SECRET NA SEMANA PASSADA (FOTO: GOTHAM/GC IMAGES)

No dia 2 de agosto, foi feito o anúncio de que a modelo cearense Valentina Sampaio era a primeira transexual a participar de campanhas publicitárias da Victoria’s Scret. No dia seguinte, Valentina compartilhou uma foto sua no Instagram, enquanto participava de uma sessão de fotografias para a linha Pink, voltada para consumidoras mais jovens. Em outro post, ela escreveu: “Never stop dreaming” (“Nunca deixe de sonhar”).

SIGA PAINEL POLITICO NO INSTAGRAM

A notícia de saída de Razek foi divulgada hoje pelo Business Insider, que teve acesso a um memorando interno da empresa. Representantes da marca não comentaram sobre o tema. A renúncia do executivo acontece num momento em que a grife enfrenta muitas críticas de mulheres participantes dos movimentos #MeToo e Time’s Up. A empresa foi criticada pela sua hiperssexualidade e também por apresentar suas peças em modelos muito magras, o que iria contra a tendência de valorização do corpo.

LEIA TAMBÉM

A Victoria’s Secret também sofreu comentários negativos por conta das peças ínfimas, na contramão da lingerie inspirada na moda esportiva, que coloca o conforto em primeiro lugar. Na semana passada, após uma série de notícias sobre quedas de vendas e lojas fechadas, foi anunciado que o desfile de 2019 da marca seria cancelado.

Jornalista, editor de Painel Político, consultoria e assessoria.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Voltar ao topo