Dois filhos de Flordelis e de pastor são suspeitos de matar o pai para defender mãe após traição

Compartilhe
Read Time4 Minute, 6 Second

Polícia procura terceiro suspeito em morte de marido da deputada

A Polícia Civil procura por um terceiro suspeito envolvido na morte do pastor Anderson do Carmo de Souza, 42 anos, marido da deputada federal Flordelis (PSD-RJ). Nesta manhã, um dos filhos da cantora gospel de 58 anos, foi detido logo após o enterro do padrasto no início da tarde desta segunda-feira. No domingo, outro filho de 18 anos foi preso por um crime cometido quando ainda era menor.

Segundo agentes, o caso está perto de ser solucionado. A linha de investigação da polícia, agora, mudou: sai a desavença familiar e entra um possível caso extraconjungal.Os filhos souberam da suposta traição e teriam tomado as dores da parlamentar, decidindo executar o religioso. O terceiro suspeito também é filho de Flordelis, conforme a polícia. “Os filhos tomaram as dores da mãe e o executaram, por isso ela está batendo na tecla do latrocínio. Há uma concentração de tiros na genitália da vítima e isso mostra que os criminosos agiram com raiva. Há uma terceira pessoa sendo procurada pelo crime. Já temos imagens de câmeras e, a qualquer momento, podemos ter resultados”, disse uma fonte da Polícia Civil.

De acordo com apuração do jornal carioca O DIA, o homem, que foi identificado como Flávio Rodrigues de Souza foi preso por conta de um mandado de prisão em aberto por violência doméstica, em outro crime ligado à Lei Maria da Penha. Flávio, que é filho apenas de Flordelis, será levado para a carceragem da Polinter.Ainda neste domingo, durante depoimentos de filhos do casal sobre a morte do pastor, um deles acabou preso. 

Enterro do pastor Anderson do Carmo – Cléber Mendes/Agência O Dia

Lucas dos Santos, de 18 anos, também é um dos principais suspeitos da morte do religioso. Contra ele, havia um mandado de apreensão em aberto por tráfico de drogas, quando o rapaz ainda era menor. De acordo com as investigações, ele tinha envolvimento com o tráfico de drogas na Comunidade da Cocada, na região de Pendotiba. Segundo agentes, Lucas ainda teria pego uma arma com um dos traficantes e estaria devendo o material. Ele é usuário de drogas e brigou recentemente com os pais por conta do vício. Flordelis e Anderson têm mais de 50 filhos, entre adotados e biológicos.

“Foi expedido um mandado de prisão por violência doméstica. Sobre o outro filho, eu não sei se ele está aqui ou não. O delegado falou comigo muito rápido. Sobre o pedido da prisão do Flávio já sabíamos do mandado e até tínhamos pedido um habeas corpus e a revogação. Tem se veiculado que ele está envolvido com o homicídio, mas não tem nada disso. A vítima, ex-esposa dele, já ligou desesperada e chorando querendo de retratar e retirar a queixa. Eles já estão separados há anos. Sobre desavença, não tenho essa informação. Se tivesse acontecido isso, eu estaria sabendo. Eu desconheço desavença, mas eu não posso dizer se tinha ou não. Foi um caso brutal, que leva-se a essa especulação. Digamos que fosse um crime passional, acho que não tinha desavença. Não sei detalhes da perícia, pois depois que a Flordelis saiu daqui eu não voltei mais”, disse a advogada de defesa Luciene Diniz Suzuki.

Flávio foi detido por policiais da Delegacia de Homicídios de Niterói e São Gonçalo (DHNSG) ainda no Memorial Parque Nycteroy. Durante o sepultamento, ele ficou o tempo todo ao lado da mãe, saindo com ela após a cerimônia. No fim do enterro, os agentes da DHNSG pediram para guardas municipais fecharem o cemitério. Eles, então, procuraram Flávio nos carros estacionados no local. Abordado, Flordelis pediu para que ele não fosse levado, dizendo “aqui não”.

Flávio foi detido logo após o pai ser enterrado. Ele é suspeito de participação do crime e tinha mandado de prisão em aberto por violência doméstica – Cléber Mendes/Agência O Dia

Deputada não acredita no envolvimento dos filhos

A deputada Flordelis rechaça a hipótese de que um de seus filhos seja o autor do crime: “Isso é ridículo, acusar alguém sem provas”. Ela acredita que o crime foi uma tentativa de assalto. “É nisso que eu acredito, que foi um assalto, e que ele morreu defendendo a família”, disse Flordelis durante o enterro.

A polícia informou que os criminosos fugiram do local sem levar nada. Investigadores revelaram também que os bandidos usaram toucas ninja e que doparam o cachorro da família antes do crime.

Com G1 e O DIA

0 0
Happy
Happy
0 %
Sad
Sad
0 %
Excited
Excited
0 %
Sleppy
Sleppy
0 %
Angry
Angry
0 %
Surprise
Surprise
0 %
Close