Faça parte de nossos grupos de Whatsapp

Regional

Em Rondônia, imigrante é hospitalizado após ganhar marmitex com pedaços de vidro misturados à comida

Boletim de ocorrência foi registrado como tentativa de homicídio. Boletim médico atualizado será divulgado na segunda-feira (8)

A mais de 5 mil km de distância da sua casa na Colômbia, Espinosa Renteria de 28 anos foi até o semáforo na avenida Major Amarantes, em Vilhena (RO), no Cone Sul do estado, para fazer malabares, na tentativa de conseguir dinheiro para comprar comida. Após algumas horas de trabalho, Espinosa registrou um boletim de ocorrência afirmando que um homem lhe deu uma marmita com pedaços de vidro, no último sábado (6).

Segundo o boletim de ocorrência, quando estava se alimentando, a vítima percebeu pedaços de vidros quebrados, que estavam misturados com a comida. Ele procurou a polícia informando o que havia acontecido.

O Corpo de Bombeiros foi chamado e Espinosa recebeu os primeiros socorros. Posteriormente, o colombiano foi encaminhado ao Hospital Regional de Vilhena.

Estado de saúde

O diretor do hospital, Faiçal Akkari, explicou que o boletim médico atualizado será divulgado na segunda-feira (8). O procedimento de praxe de pacientes em situações semelhantes é passar por uma lavagem estomacal.

Investigações

De acordo com a Polícia Civil, o homem que teria dado a marmita para o imigrante se apresentou na delegacia, foi ouvido e liberado. Ele negou o crime. No depoimento, o homem disse que comprou três marmitas em um restaurante da cidade, e ao ver a situação de Espinosa, resolveu dar uma delas a ele.

“Eu comprei a marmita, aí vi ele naquela situação e fui no ato de ajudar, né? Eu e minha esposa comemos da mesma comida e não tinha nada. Quando foi mais tarde, minha esposa viu na internet [o caso]. Então fui lá na delegacia. Estamos esperando o resultado da perícia”, explica o homem que prefere não ter o nome divulgado.

A Polícia Civil ressalta que as investigações estão em andamento. A marmita foi encaminhada para perícia e o laudo deve ser divulgado em 10 dias. A partir disso, será possível apurar se houve um evento criminoso e se ele foi doloso ou culposo.

G1/VHA

Sobre o autor

Jornalista, editor de Painel Político, consultoria e assessoria.
Related posts
Regional

Mulher é acusada de desligar aparelho de oxigênio do pai, em Vilhena, "quero dar um fim ao sofrimento dele"

Regional

Polícia Militar de Rondônia inova mais uma vez e prende jovem que portava moeda de R$ 1 furada por "destruir, inutilizar ou deteriorar coisa alheia".

Regional

Em Rondônia, 79 pessoas foram assassinadas nos dois primeiros meses de 2019

Regional

Professor aposentado de 71 anos é preso suspeito de abusar de 2 crianças em Vilhena

Assine nossa newsletter e receba nosso boletim semanal

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Worth reading...
Cantora gospel acusada de matar o marido é condenada a 21 anos de prisão