Empresário que jogou modelo do 14º andar de hotel em Brasília é preso no Pará

Read Time1 Minute, 52 Seconds

Vítima foi arremessada após ter sido assediada sexualmente, segundo polícia. Criminoso foi condenado a 13 anos de prisão.

A Polícia Civil do Distrito Federal prendeu o empresário Carlos Humberto Pereira Montenegro, de 59 anos, nessa quinta-feira (22). Condenado a 13 anos de prisão pela morte da modelo amapaense Patrícia Melo de Oliveira, de 22 anos, em janeiro de 2005, ele foi encontrado em Belém, no Pará.

O último mandado de prisão contra ele havia sido expedido pelo Tribunal de Justiça e Territórios do Distrito Federal (TJDFT) em junho de 2018. No entanto, o réu acabou não sendo preso porque a defesa recorreu ao Superior Tribunal de Justiça (STJ).

O advogado Thiago Machado disse que a prisão desta quinta ocorreu “sem prévia comunicação” ao Poder Judiciário do Estado do Pará e que “adotará as providências judiciais cabíveis para resguardar os direitos de Carlos Montenegro”.

Carlos Humberto foi abordado quando trafegava na Avenida Independência – uma das principais de Belém.

Segundo as investigações da 1ª Delegacia de Polícia (Asa Sul), responsável pelo caso, Patrícia Melo foi arremessada do 14º andar de um hotel de luxo no Setor Hoteleiro Sul. O crime ocorreu por volta das 6h30 do dia 7 de janeiro de 2005. Minutos antes, a vítima teria sido “assediada sexualmente”.

Na época do crime, a perícia da Polícia Civil constatou que a modelo foi jogada de uma altura de 43 metros.

O inquérito apontou que a vítima havia trabalhado na empresa de Carlos Humberto por dois meses, mas pediu demissão “em razão dos constantes assédios sexuais sofridos”.

“O denunciado, contudo, descontente com a recusa, mas insistindo no propósito de tê-la a qualquer custo, houve por bem em trazê-la para Brasília, com o propósito dissimulado, vindo ambos a se hospedar no mesmo quarto, num hotel de luxo da capital”, afirmou o Ministério Público na denúncia.

“Ocorre, porém, que, como a vítima não cedeu ao assédio, recusando-se a com ele permanecer na cidade, o denunciado, em revide, a lançou do alto do 14º andar do prédio, pela sacada do quarto abaixo.”

Com G1/PA

0 0
0 %
Happy
0 %
Sad
0 %
Excited
0 %
Angry
0 %
Surprise
Close