Iceberg do tamanho de Belo Horizonte se solta da Antártica

Para seus contatos
Read Time2 Minute, 19 Second

Aquecimento também está matando pinguins de fome

O serviço europeu Copernicus sobre mudanças climáticas anunciou, nesta quinta-feira (13), que um iceberg de mais de 300 Km², tamanho aproximado da área da cidade de Belo Horizonte, se soltou na Antártica.

Nas imagens capturas pela agência ao longo da última semana é possível observa a rapidez com que o grande pedaço de gelo se desprende.

Este é mais um dos indícios apontados por cientistas, no início de 2020, que demonstram o aquecimento global. Em entrevista para a CNN, Mark Drinkwater, do Centro de Observação da Terra da Agência Espacial Europeia (ESA) disse que as imagens deixam claro que a Geleira da ilha Pine está respondendo dramaticamente às mudanças climáticas.

Pinguins estão morrendo de fome

Espécies de pinguim, como o pinguim-de-barbicha e o pinguim-de-adélia , estão com problemas para se alimentar na Antártida , a ponto de morrerem de fome. Essas dificuldades são causadas pelo aquecimento da península, segundo cientistas que estudam a precariedade da alimentação como motivo de uma redução das populações dessas aves.

No caso dos pinguins-de-barbichas , foi registrada uma queda superior a 70% no número dos animais dentro do território da Ilha Elefante. Cenários semelhantes foram constatados por cientistas em outras regiões da Antártida.

O problema da fome está diretamente relacionado às mudanças climáticas . Segundo relato do pesquisados Yang Liu, em entrevista ao portal Phys, as temperaturas mais altas estão movendo para o sul, em direção a locais mais frios, as populações de pequenos crustáceos, que são base da alimentação dos pinguims-de-barbicha.

“O declínio que nós temos visto é definitivamente dramático. Algo está acontecendo com os blocos fundamentais da cadeia alimentar daqui. Nós temos menos abundância de alimento, e isso está reduzindo essas populações cada vez mais e a questão é: isso vai continuar?” afirma Steve Forrest, biólogo integrante de uma expedição norte-americana na Antártida.

Aquecimento

As últimas notícias sobre a Antártida não são das melhores. Cientistas brasileiros do Projeto Terrantar registraram, no dia 9 de fevereiro, o recorde temperatura de 20.75°C na Ilha de Seymour. Até então, desde o início dos registros, o maior valor indicado pelos termômetros era de 19.8°C, anotado por pesquisadores em 1982, na Ilha Signy.

Durante janeiro, cientistas anunciaram que encontraram, pela primeira vez, a presença de água morna em uma geleira da Antártida, descoberta alarmante diante de tantos derretimentos registrados nos últimos anos.

||+destaques

By [email protected]

Jornalista, editor de Painel Político, consultoria e assessoria.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Assuntos relacionados