Givanilson dos Santos foi preso por caso de feminicídio na semana passada; ao pular do 4º andar do hospital, criminoso estava algemado à grade da cama

O marceneiro Givanilson Valdemir dos Santos, de 26 anos, foi preso na semana passada pelo assassinato da sua namorada, a veterinária Paula Patrícia de Mello, de 38 anos. Machucado no ato do assassinato, o criminoso foi levado a um hospital sob escolta policial, onde ficou internado. Nesta quinta-feira (7), Givanilson, que estava algemado à grade da cama, pulou da janela do seu leito. O caso aconteceu em São Caetano do Sul, cidade do ABC Paulista.

O criminoso, que teria tentado suicídio, sobreviveu à queda do quarto andar do Complexo Hospitalar Marcia e Maria Braido, no bairro Santa Paula, mas corre risco de morte. O preso foi rapidamente socorrido e levado para exames e seu estado de saúde é grave. De acordo com a Globo News , Givanilson teve traumatismo craniano e lesões múltiplas pelo corpo.

De acordo com a secretária municipal de Saúde de São Caetano, a médica Regina Maura Zetone, essa foi a primeira vez que um paciente tentou se matar na unidade médica. “A nossa responsabilidade com ele é médica. A responsabilidade dele como preso é da PM [Polícia Militar]. Ele estava sob escolta 24 horas por dia”, disse.

O marceneiro está detido desde o último sábado (2), quando confessou ter esfaqueado e matado a namorada no apartamento do casal. O crime se deu com mais de 20 facadas na vítima, que até chegou a ser levada para receber cuidados médicos, mas não resistiu às feridas. 

De acordo com a polícia, a Guarda Civil Municipal (GCM) foi acionada sábado para atender à ocorrência de violência doméstica no apartamento onde Givanilson morava com Paula. Ao chegarem no local, não encontraram ninguém, mas uma cena de muito sangue, inclusive com marcas de pegadas.  

Informados de que o casal tinha sido levado ao Hospital Euryclides Zerbini, os guardas se dirigiram à unidade médica. Lá, encontraram um homem e sua mulher feridos dentro de um carro. Paula estava inconsciente e Givanilson, com lesão no abdome.

Em um primeiro momento, o marceneiro alegou que o casal foi machucado durante um roubo, mas logo confessou ter esfaqueado a médica durante uma discussão no apartamento onde moravam. Givanilson revelou ainda que escorregou no sangue da vítima, caindo sobre a faca que usou para cometer o crime e, por isso, tinha uma lesão no abdome.

Desde então, Givanilson foi detido e acabou internado. Sua escolta era feita por dois agentes armados da PM que, por volta das 7h20 desta quinta-feira, estavam no corredor, do lado de fora do quarto do preso. A porta foi deixada aberta.

“Ele arrancou a grade da cama onde estava algemado e pulou do quarto andar da janela. Ele caiu num mezanino que corresponderia ao segundo andar. Caiu de face, teve afundamento de face”, comentou Regina.

Com os novos ferimentos, o preso não tem previsão de quando deve sair do hospital. Afinal, além das novas feridas, os ferimentos na sua barriga se abriram novamente, o que demandará outro procedimento. Ele deve ainda passar por uma cirurgia de rosto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *