Para seus contatos
Read Time1 Minute, 52 Second

Irmã de Maurício Suzuki contou que ele foi diagnosticado com ‘quadro leve’ da doença, mas que em poucos dias faltava ar em trajetos curtos dentro de casa

O jovem de 26 anos que morreu no sábado (28) em São Paulo com coronavírus tinha como paixão correr curtas distâncias e maratonas. Neste domingo (29), os pais dele estão no hospital com sintomas da doença.

Era com um sorriso no rosto e a medalha no peito que Maurício Suzuki comemorava cada conquista. Por telefone, a irmã dele, Simone, contou que o irmão cuidava da saúde e que o rápido avanço da Covid-19 surpreendeu. “Assustadora e chocante porque não dá tempo de processar”, disse.

“Eu e meu esposo tivemos contato direto com ele nesses dias. Ficamos sexta, sábado, domingo, e segunda-feira ele já acordou com falta de ar um pouco mais severa. Para trajetos curtos ele estava ficando bem cansado, então a gente voltou para o hospital”, continuou Simone.

No dia 18 de março, Maurício mandou uma mensagem para o chefe dizendo que estava resfriado. No dia seguinte, voltou a procurar o chefe para dizer que tinha sido diagnosticado com o coronavírus, um “quadro leve”.

Ele disse que estava um pouco febril e com tosse seca, e que recebeu do médico um documento para assinar em que se comprometia a ficar isolado em casa por 14 dias.

Mauricio Suzuki, 26 anos, morreu no sábado (28) em São Paulo com coronavírus e tinha como paixão correr curtas distâncias e maratonas — Foto: Reprodução/TV Globo

Na última segunda-feira (23), ele voltou para o hospital com muita falta de ar, foi internado na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e morreu no sábado (28).

Neste domingo, Simone estava no hospital com os pais. Os dois estão com sintomas da doença.

São Paulo é o estado que concentra o maior número de mortes por coronavírus, com 98, de acordo com o balanço divulgado neste domingo (29) pela Ministério da Saúde. Os casos confirmados passam somam 1.451.

A melhor medida para desacelerar o contágio continua sendo o isolamento social, e os paulistanos têm respeitado. Se alguém sai para comprar comida é importante lembrar que mesmo ao ar livre é preciso manter distância das outras pessoas. Com G1

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *