Dados foram divulgados através do Sinarm, da PF. Veja evolução dos número desde 2014

O registro de armas entre civis aumentou 410% em Rondônia nos últimos quatro anos. Os dados foram divulgados através de um levantamento feito pela Folha de São Paulo em parceria com o Sistema Nacional de Armas (Sinarm), da Polícia Federal (PF).

Segundo o Sinarm, atualmente existem 7.856 armas registradas em Rondônia, o que faz com que o estado seja o mais armado da Região Norte. Ficando na frente até mesmo do Pará, com 8 milhões de habitantes.

O relatório da PF revela que o maior crescimento no armamento ocorreu entre 2014 e 2015, quando o número de novas armas registradas foi de 194 para 808 em um ano, um aumento de 316%.

No ano de 2016 houve uma queda no número de pedidos para posse de arma, caindo para 601 deferimentos no estado. Porém, desde então a procura para posse de arma só aumentou em Rondônia.

Os dados divulgados levam em consideração o sistema da Polícia Federal, que computa todas as armas compradas por civis com o objetivo de proteção, por profissionais de segurança privada e também órgãos públicos.

Outros armamentos usados para caça, tiro esportivo ou militares devem ser registrados no Exército, através do Sistema de Gerenciamento Militar de Armas (Sigma).

Região Norte

Dos sete estados na Região Norte, Rondônia lidera o ranking com mais civis portando arma de fogo.

Rondônia, com 1,5 milhão de habitantes, fica na frente até mesmo do Pará, com mais de 8 milhões de pessoas, e Amazonas, com 4 milhões.

Posse de arma é um dos registros feitos pela PF. Para conseguir essa autorização é preciso manter a arma de fogo em casa (ou numa residência de campo, por exemplo) ou no local de trabalho (desde que o dono da arma seja o responsável legal pelo estabelecimento).

Conforme a PF, para conseguir posse ou porte é necessário cumprir as exigências legais e ter o pedido aprovado pela Polícia Federal (PF).

A lei prevê punição que varia de 1 e 3 anos de prisão, ou multa, para posse ilegal. Porte ilegal tem pena maior, que pode variar de 2 a 4 anos, ou multa.

Como é o trâmite?

  • A decisão do porte ou posse cabe à Polícia Federal.
  • O Ministério da Justiça autoriza porte de arma para segurança de cidadãos estrangeiros em visita ou sediados no Brasil.
  • O Comando do Exército concede registro e concessão de porte de trânsito de arma de fogo para colecionadores, atiradores e caçadores e de representantes estrangeiros em competição internacional oficial de tiro realizada no Brasil.

Do G1/RO