Faça parte de nossos grupos de Whatsapp

Polícia

No Paraná, alegando bulling, homem invade pensionato, ataca estudantes e deixa uma pessoa morta

Suspeito pediu para que as vítimas de ajoelhassem para serem apunhaladas; ele foi preso e disse à polícia que era maltratado no local

Um estudante de 22 anos morreu após ser apunhalado por um homem que atacou estudantes em um pensionato de Maringá, no Norte do Paraná, na madrugada deste domingo (17). Segundo a Polícia Civil, o suspeito do crime foi preso. As informações são do portal G1.

O autor do atentado morava em uma residência aos fundos do imóvel. Segundo relatos, ele entrou na casa por volta das 2h e atacou três homens que estavam na cozinha. Orivaldo José da Silva Filho tentou escapar das agressões, mas acabou não resistindo aos ferimentos e morreu no local. Dois conseguiram fugir e foram perseguidos na rua pelo suspeito. Eles foram levados para hospitais da região e continuam internados.

Segundo a Polícia Militar, os vizinhos e as vítimas acionaram a corporação. O suspeito foi preso quando estava voltando para o pensionato para atacar outros estudantes.

De acordo com a Polícia Civil, o suspeito confessou que esfaqueou os jovens e disse que era maltratado na casa. Ainda de acordo com os militares, ele estava alterado no momento do crime e pediu para que os jovens se ajoelhassem. Na sequência, atacou as vítimas com uma faca.

Sobre o autor

Jornalista, editor de Painel Político, consultoria e assessoria.
Related posts
Polícia

Justiça decreta prisão de digital influencer baiano Iuri Sheik

Polícia

Caçador se desequilibra, cai 3 metros de altura, arma dispara na queda e ele morre

Polícia

Homem estupra garota de programa em MT e depois diz para vítima que tem HIV

Polícia

Filhos de mulher morta por causa de bolo não conseguem dormir: 'Estão sofrendo'

Assine nossa newsletter e receba nosso boletim semanal

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Worth reading...
Polícia Civil de RO prende cinco integrantes do Comando Vermelho acusados de homicídio