Polícia Civil descobriu que ele não estava conseguindo pagar os R$ 20 mil prometidos aos executores do pai, dono de um pequeno mercado na capital

A delegada Leisaloma Carvalho, da Delegacia de Homicídios de Porto Velho ficou assustada com a frieza o jovem de 16 anos que foi preso nesta quarta-feira por ter contratado uma dupla de assassinos para executar seu pai, o comerciante  Jucelino Fotele Magalhães, conhecido na região como “PIo”. Ele foi morto com um tiro na cabeça dentro de seu estabelecimento, no bairro Socialista, zona Leste da capital no último dia 10. “Em um de seus depoimentos, ele chegou a rir”, disse a policial.

O crime, que a princípio era tratado como latrocínio (roubo seguido de morte) teve um desfecho impressionante. Imagens de câmera de segurança mostraram a ação do executores, e uma análise mais detalhada mostrou que o menor fez um sinal para os assassinos, que estavam na rua, saberem a hora de entrar no estabelecimento e executar o comerciante.

As investigações revelaram o contato do jovem com um intermediário que encontrou os dois executores. Eles chegaram de moto no dia do homicídio.

A delegada também destacou que a simulação de um latrocínio foi tramada pelo menor, mas não se sustentou porque o atirador perseguiu a vítima até conseguir atingi-lo com um tiro na cabeça.

“Esse assalto nunca existiu, embora tenha ocorrido a subtração de algum dinheiro do caixa, mas a real finalidade era matar a vítima”, conta. Na ocasião os assassinos levaram R$ 2 mil que estava no caixa.

Comércio onde ocorreu o crime

O crime causou revolta nas redes sociais, acirrando o debate sobre a necessidade de alterar a legislação e alguns até pedindo a ‘pena de morte’. Mas, o crime foi familiar. O jovem queria herdar o patrimônio do pai e já sonhava com a morte de sua mãe, só estava faltando o principal, dinheiro.

O adolescente não conseguiu pagar os R$ 20 mil prometidos aos executores de seu pai e já procurava outros assassinos para liquidarem os primeiros. No depoimento prestado nesta quarta, o adolescente confessou que tramou a morte do pai e negou que a mãe tivesse conhecimento ou envolvimento no crime. Ele alegou que mandou matar o comerciante porque o pai havia descoberto os saques que ele fazia no caixa do comércio e tomaria medidas pra impedir que ele continuasse com os desvios.

“Os familiares do adolescente foram ouvidos após a morte da vítima e falaram que o adolescente é problemático e estava envolvido em atos infracionais e que o pai estava tendo muito trabalho com ele, estava descontente com o comportamento do filho. Os familiares contam que o pai sempre deu tudo pro filho e o filho chegou a agir dessa maneira”, relatou a delegada ainda surpresa com o resultado das investigações.

O suspeito de pilotar a moto usada no crime, conforme a polícia, foi identificado pela digital deixada no caixa do comércio.

A motocicleta foi apreendida e levada à Delegacia de Homicídios. A delegada disse que possivelmente o suspeito preso usava a moto para fazer vários roubos na cidade. Os novos crimes podem ser descobertos se as vítimas reconhecerem o veículo.

O adolescente teve o pedido de internação provisória acatado pela Justiça. Agora, a polícia trabalha para localizar o intermediador e o atirador contratado pelo jovem.

‘Homenagem’

Logo após a morte do comerciante, o jovem postou uma ‘homenagem’ a seu pai em seu perfil no Facebook. “Saudades pai o senhor tá fazendo muita falta pra mim te amoo pai nuca vo esquecer de vc paí. E nós pai te amoo muito”, escreveu.