Policial Federal foi morto pela milícia do Ecko, diz PF

Compartilhe
Read Time1 Minute, 32 Second

Ronald Heeren e outro policial teriam ido até a Favela do Rola entregar intimações

Fontes da Polícia Federal afirmam que o agente Ronald Heeren foi morto por milicianos da quadrilha de Wellington da Silva Braga, o Ecko, acusado de controlar a maior milícia do Estado do Rio de Janeiro desde 2017.

Ronald, que trabalhava no Núcleo de Operações da Delegacia de Combate ao Crime Organizado (Delecor), foi morto na quinta-feira (13) em uma diligência que ia fazer em Santa Cruz, na Zona Oeste do Rio.

Ele e outro policial que estava com ele, Plínio Ricciardi, teriam ido até a favela entregar intimações.

Policial federal foi morto na Favela do Rola, na Zona Oeste do Rio — Foto: Reprodução/ TV Globo

GPS indicou caminho

Plínio contou a policiais militares que os dois seguiram o caminho sugerido pelo GPS e acabaram entrando na Favela do Rola.

Lá, segundo ele, quatro bandidos armados em um Corolla prata desceram do carro e atiraram contra a viatura descaracterizada em que os policiais federais estavam.

Plínio conseguiu correr e se esconder em uma casa abandonada, por isso sobreviveu.

O corpo de Ronald Hereen foi encontrado dentro da viatura, em um ponto diferente do local do ataque.

Ainda de acordo com fontes da PF, os bandidos retiraram a viatura do lugar onde tudo aconteceu e depois picharam o carro com as inscrições de uma facção criminosa que já atuou na região.

A Polícia Federal investiga se essa inscrição foi feita para atrapalhar as investigações.

||+destaques

0 0
Happy
Happy
0 %
Sad
Sad
0 %
Excited
Excited
0 %
Sleppy
Sleppy
0 %
Angry
Angry
0 %
Surprise
Surprise
0 %
Close