Painel Político

Revista, é uma editoria do site Painel Político, e apresenta notícias variadas sobre tecnologia, streaming, variedades, famosos, fatos do cotidiano no Brasil e no mundo.

Rebelados, presos em Manaus fazem 7 agentes como reféns e querem ‘qualidade de vida’; veja vídeo feito pelos detentos

Para seus contatos
Read Time1 Minute, 19 Second

Eles alegam ainda que ‘tá todo mundo doente aqui dentro e não tem medicamento’

Os presos amotinados na Unidade Prisional do Puraquequara, em Manaus, gravaram um vídeo que foi encaminhado a familiares, que por sua vez estão distribuindo em grupos de Whatsapp, onde reclamam das péssimas condições da unidade prisional.

No vídeo abaixo, o preso mostra uma cela, e afirma que ‘os irmão tá tudo doente e não medicamento (sic). Eles ainda se queixam da comida e querem “melhores condições de vida”.

Ainda no vídeo, o detento que afirma que “ninguém vai morrer”, que não tem alimentação, que “os irmãos morrem dentro da cadeia” e que as pessoas levam doenças para dentro do presídio. Sete agentes penitenciários foram feitos reféns.

Veja o vídeo

Coronavírus, restrições e tensão no sistema

No Amazonas, dois presos já testaram positivo para Covid-19, apesar das medidas restritivas adotadas desde a chegada da pandemia ao estado. Um dos casos foi confirmado no Centro de Detenção Provisória I e outro em uma cadeia de Parintins, no interior.

Sem visitas e vivendo sob novas restrições como o isolamento de presos recém-chegados, o sociólogo e pesquisador do Laboratório de Estudos da Violência da Universidade Federal do Ceará (UFC), Ítalo Lima, explicou que as tentativas de fuga poderiam ser comuns.

“As tensões são muito elevadas. Se a situação piorar, ela pode ficar incontrolável e o Sistema Prisional do Amazonas, apesar das intervenções Federais que acontecem também não apresentarem uma situação muito favorável em respeito à segurança. Acho que um reflexo da pandemia seria um motim”, comentou.

Jornalista, editor de Painel Político, consultoria e assessoria.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Voltar ao topo