Faça parte de nossos grupos de Whatsapp

Brasil

Seguidores de Malafaia dizem que morte de Boechat foi “castigo de Deus” por críticas ao pastor

Compartilhando matéria de 2015 em que o jornalista Ricardo Boechat e o pastor evangélico Silas Malafaia, seguidores do religioso associaram morte de jornalista com críticas feitas contra Malafaia; “Ninguém se levanta contra os ungidos do Senhor dos Exércitos” e “maldito aquele que fala do ungido de deus”, escreveram os seguidores

Postagens de evangélicos nas redes sociais associavam a morte do jornalista Ricardo Boechat, vítima de um acidente de helicóptero nesta segunda-feira (11), a críticas feitas pelo âncora da TV Band ao pastor Silas Malafaia. A associação gerou um forte reação contrária, criticando os seguidores do polêmico pastor.

O jornalista de 66 anos foi uma das vítimas da queda do helicóptero que ocorreu na manhã de segunda-feira (11), no Rodoanel em São Paulo, batendo na parte dianteira de um caminhão logo em seguida.

Em 2015, ao responder uma afirmação feita por Malafaia, Boechat disparou “Ô Malafaia, vai procurar uma rola”. O link da matéria que tratou da rusga entre os dois foi compartilhada por dezenas de seguidores do pastor, com comentários como “ninguém se levanta contra os ungidos do Senhor dos Exércitos” ou “maldito aquele que fala do ungido de deus”.

A reação contrária foi imediata. “Cristãos, não passem vergonha comemorando a morte do Boechat porque ele era ateu e mandou o Malafaia procurar uma rola. Façam seus papéis como cristãos, se são isso mesmo, e orem pela família do cara. Vocês são a vergonha do Cristianismo Brasileiro”, escreveu um perfil no Twitter.

“Existe uma problema sério entre os evangélicos brasileiros. Gente que acha que o pastor é intocável e não pode ser criticado. Gente estúpida a ponto de dizer que foi “Deus pesou a mão” no Boechat por críticas ao Malafaia. Mas por favor não tomem essa galera como se fosse o todo”, escreveu outro perfil, na mesma rede.

Briga nas redes

Ao saber das críticas de Boechat, Malafaia respondeu em suas redes sociais.

“Avisa ao jornalista Boechat, que está falando asneira, dizendo que pastores incitam os fiéis a praticarem a intolerância. Verdadeiro idiota. Desafio Boechat para um debate ao vivo. Falar asneira no programa de rádio sozinho, é mole, deixa de ser falastrão. Não incite o ódio”, disse.

Mais tarde, o jornalista respondeu Malafaia, em uma ácida crítica ao religioso.

“Ô Malafaia, vai procurar uma rola, vai. Não me enche o saco. Você é um idiota, um paspalhão. Um pilantra. Tomador de grana de fiel, explorador da fé alheia. E agora vai querer me processar. Você gosta muito de palanque, não vou te dar palanque porque você é um otário. Não vou fazer debate nenhum com você porque não quero te dar essa confiança. O que eu falei e repito é que num âmbito de igrejas neopentecostais estão acontecendo atos de incitação à tolerância religiosa, mais do que em outros ambientes. Em nenhum momento, pode pegar minhas falas que estão gravadas, eu disse algo que generalizasse as coisas. Até porque, diferente de você, não sou um idiota”, disse.

“Você é um homofóbico, uma figura execrável, horrorosa, que toma dinheiro das pessoas. Você é rico porque toma dinheiro das pessoas pregando salvação depois da morte. Meu salário, meus patrimônios, vêm do meu suor, não do suor alheio. Você é um charlatão, cara. Que usa o nome de Deus e de Cristo para tomar dinheiro dos fiéis. Você é um tomador de grana. Você e muitos outros. Não medo de você não, seu otário! Vai procurar uma rola”, completou.

Sobre o autor

Jornalista, editor de Painel Político, consultoria e assessoria.
Related posts
Brasil

Um em cada cinco brasileiros usa o celular enquanto dirige

Brasil

Total médio de anos de estudo cresce no Brasil, segundo IBGE

Brasil

Investir em educação é eficaz para redução de homicídios, diz Unicef

Brasil

Embarcação naufraga no interior do Amazonas; seis estão desaparecidos

Assine nossa newsletter e receba nosso boletim semanal

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *