Faça parte de nossos grupos de Whatsapp

Mundo

Sem saber como superar um fora, mulher é julgada por mandar 159 mil mensagens

Americana chegou a ser presa por perseguição e caso está nos tribunais; ela ainda é acusada por invadir a casa da vítima e dizer que era sua “esposa”

Como superar um fora? É verdade que a situação exige uma certa maturidade e algumas pessoas não reagem tão bem quando são rejeitadas, mas uma americana passou um pouco dos limites e agora está sendo julgada por perseguir um homem que não queria continuar saindo com ela.

A esteticista Jacqueline Claire Ades, de 33 anos, é acusada de invasão de residência, assédio e stalking – que configura perseguição obsessiva, nos EUA – por ter mandado inacreditáveis 159 mil mensagens de texto para um homem que ela havia tido um encontro por não saber como superar um fora .

Os dois se conheceram há um ano e meio, por um site de relacionamento que reúne milionários solteiros. Depois de trocarem algumas mensagens , eles marcaram um encontro em uma festa em Phoenix, no Arizona. Mas, no fim da noite, ele, um executivo de uma multinacional que não teve o nome revelado, não se interessou muito pela mulher e não quis repetir o date.

O que o homem não esperava era que Jacqueline não iria aceitar os fatos facilmente. Ao perceber que o milionário não respondia suas mensagens, ela não só se recusou a assumir que tinha sido dispensada, como também passou a mandar cerca de 500 mensagens por dia para ele durante 10 meses.

A situação absurda não parou por aí: não contente em perturbar a vida dele virtualmente, a esteticista chegou a invadir a casa da vítima e tomar banho em sua banheira. Além disso, ela também apareceu no trabalho dele e contou a todos que era sua “esposa”.

LEIA A REPORTAGEM COMPLETA NO DELAS.

Related posts
Mundo

Estados norte-americanos processam Donald Trump por ter declarado emergência nacional

Mundo

Ganhador de loteria na Jamaica recebe prêmio com máscara do Pânico para não ser identificado

Mundo

Vulcão Stromboli pode gerar tsunami na Itália, diz estudo

Mundo

Cientistas debatem o que fazer com munições de guerra esquecidas no fundo do Mar Báltico

Assine nossa newsletter e receba nosso boletim semanal

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *