Faça parte de nossos grupos de Whatsapp

Estilo de vida

Sono profundo? Por que é possível aprender um idioma enquanto você dorme

Os benefícios do sono para a memória são bastante conhecidos. Mas um novo estudo sugere que também é possível aprender novas palavras enquanto se dorme.

Vários estudos têm demonstrado que dormir fortalece a memória e que as palavras que aprendemos quando estamos conscientes se consolidam se ouvidas durante o sono.

Mas um novo experimento publicado na revista científica Current Biology sugere que também é possível aprender novas palavras e suas associações semânticas, a partir do zero, enquanto se está profundamente adormecido.

A chave para isso parece ser que, quando alcançamos o estágio do sono profundo, as células cerebrais ficam normalmente ativas por um curto período de tempo antes de entrarem em um estado de breve inatividade. Os dois estados se alternam a cada meio segundo.

E um grupo de pesquisadores da Universidade de Berna, na Suíça, quis comprovar se uma pessoa é capaz de formar novas associações em seu cérebro durante os momentos de atividade das células cerebrais.

Para testar esta hipótese os pesquisadores fizeram os voluntários ouvirem duas palavras enquanto estavam na fase de sono profundo, a primeira em um idioma inventado e, em seguida, em sua língua nativa, o alemão.

A palavra alemã para “chave” foi associada com o vocábulo “tofer”, enquanto a palavra “elefante” foi associada à “guga”.

Uma vez acordados, os pesquisadores perguntaram aos participantes qual das palavras inventadas representava algo grande e qual representava algo pequeno.

Para deleite da equipe, os voluntários conseguiram associar a palavra “chave” com “tofer” e “elefante” com “guga”, apesar tê-las ouvido quando estavam dormindo profundamente.

Aprender enquanto dorme

“Foi interessante ver como a área de linguagem do cérebro e o hipocampo (o centro de memória essencial do cérebro) era ativado para recuperar as associações formadas durante o sono”, comentou Marc Zust, pesquisador da Universidade de Berna e um dos autores do estudo.

“Estas estruturas parecem interferir na formação da memória, independentemente do estado de consciência”, disse ele.

As horas que passamos dormindo normalmente são consideradas como tempo perdido. Este experimento, portanto, levanta a questão sobre se esse tempo pode ser usado de forma mais produtiva.

Mas Züst também alerta que o sono e a memória são sistemas complexos que levaram milhões de anos para serem otimizados.

“Se pressionamos o cérebro adormecido para a aquisição de novas informações, podemos estar atrapalhando as funções que ele já está desempenhando, como descansar, se recarregar ou consolidar todas as informações que recebemos durante o dia”, alertou o pesquisador.

Nova teoria do sono

O que está claro é que a noção de sono como um estado mental encapsulado e totalmente separado do ambiente físico já não se sustenta.

Züst explica que este estudo prova que o cérebro é mais receptivo a estímulos externos durante o sono profundo do que pensávamos.

Teorias anteriores afirmavam que, quando entramos em fases profundas do sono, certas áreas do cérebro focam na consolidação de memórias, e, portanto, ignoram estímulos externos.

No entanto, pesquisas da Universidade de Berna indicam que na verdade existem pequenas janelas de oportunidade nas quais o cérebro está “aberto” e disposto a assimilar novas informações.

“Em que medida e com quais consequências o sono profundo pode ser usado para a aquisição de novas informações será tema de investigação nos próximos anos”, diz Katharina Henke, que também está entre os autores do estudo.

Fonte: bbc

Related posts
Estilo de vida

Posso cozinhar com azeite extra virgem?

Estilo de vida

Por que a supergonorreia pode se tornar incurável

Estilo de vida

Vai para a Tailândia? Veja 7 pontos turísticos imperdíveis

Estilo de vida

O que acontece com seu cérebro se você largar o Facebook?

Assine nossa newsletter e receba nosso boletim semanal

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *