Turista estupra garota de 16 anos após separar briga e oferecer lanche em SP

Read Time1 Minute, 57 Seconds

Polícia Militar foi acionada por uma testemunha. O homem chegou a bater a cabeça da vítima contra a parede para que ela parasse de gritar

Uma adolescente de 16 anos foi estuprada por um contador, de 38, em Praia Grande, no litoral de São Paulo. O crime ocorreu nesta quinta-feira (2) no apartamento do suspeito, no bairro do Boqueirão. A Polícia Militar foi acionada por um vizinho que ouviu os gritos de socorro da garota e o homem foi preso em flagrante.

O suspeito, que é morador da capital paulista, alugou um apartamento em Praia Grande e chegou à cidade na quarta-feira (1º), segundo informações da polícia. Ele chegou a bater a cabeça da vítima contra a parede para que ela parasse de gritar.

A garota estava na orla da praia do bairro Ocian quando foi abordada pelo homem. No momento em que ele chegou, ela e outra adolescente estavam discutindo. Ele apartou a briga e ofereceu ajuda, dizendo que gostaria de levá-la para tomar um lanche. Eles seguiram até a lanchonete e, em seguida, ele a levou para o apartamento, sem o consentimento da adolescente.

Delegacia de Praia Grande

Em depoimento à polícia, a testemunha afirmou que ele jogou a garota na cama, tapou sua boca e consumou o estupro. Ao ser abordado pela polícia, o suspeito apresentou nervosismo e inicialmente disse que estava sozinho.

Segundo o cabo da PM Diogo Passos, que atendeu a ocorrência, ele autorizou a entrada dos policiais e a garota foi encontrada embaixo da cama. Ela não saiu do local porque ficou com medo, achando que fosse mais alguém que pudesse fazer mal a ela. Quando viu que se tratava de policiais, a jovem saiu e contou o que estava ocorrendo.

O contador negou o estupro dizendo que a jovem havia consentido. Quando os policiais perguntaram por que ela gritou por socorro, ele não soube explicar e foi preso em flagrante. Ele recebeu voz de prisão e foi levado à Delegacia Sede de Praia Grande, onde o caso foi registrado como estupro pelo delegado Alexandre Comin.

Acompanhada de uma representante do Conselho Tutelar, a jovem foi encaminhada ao Instituto Médico Legal (IML) do município na manhã desta quinta-feira. O homem foi recolhido à carceragem do DP Sede e está à disposição da Justiça.

G1/SP

0 0
0 %
Happy
0 %
Sad
0 %
Excited
0 %
Angry
0 %
Surprise
Close