Faça parte de nossos grupos de Whatsapp

Polícia

Vereador de Belém (PA) é morto à tiros

Em 2013 ele havia sido alvo de um atentado, mas escapou

O vereador Deivite Wener Araújo Galvão, conhecido como Gordo do Aurá, foi mortos a tiros na tarde desta quinta-feira (21), em Belém. Reeleito em 2016 vereador de Ananindeua, Goro do Aurá tinha extenso histórico de prisões e investigações por ligação com o narcotráfico.

De acordo com a Prefeitura de Belém, o crime ocorreu próximo ao Pronto Socorro da 14 de Março, para onde a vítima foi encaminhada e socorrida. Ele recebeu os primeiros atendimentos, mas não resistiu.

Conhecido como “Gordo do Aurá”, o vereador Deivite Galvão foi eleito em 2012 pelo DEM, e reeleito em 2016 pelo mesmo partido. — Foto: Ary Souza

Prisões e atentado

Deivite Galvão foi eleito vereador de Ananindeua, região metropolitana de Belém, em 2012, pelo DEM, e reeleito em 2016 pelo mesmo partido.

Em 2013, ele foi alvo de um atentado. Quando chegava ao prédio da Câmara de Vereadores de Ananindeua, foi baleado por um motoqueiro armado, que fez vários disparos.

De acordo a Polícia Civil, o vereador responde por dois crimes: em 2006, foi apontado como suspeito de homicídio, e em 2011 foi preso por tráfico de drogas e associação ao tráfico, no distrito de Mosqueiro.

Em setembro de 2018, Devite foi preso por ligação com o tráfico de drogas e por integrar facção criminosa. A ação da Polícia que culminou na prisão do vereador ocorreu no residencial do “Programa Minha Casa, Minha Vida”, que à época havia sido ocupado há cerca de dois anos. De acordo com as investigações, o local servia como abrigo para foragidos e para gerenciamento do tráfico de drogas.

Sobre o autor

Jornalista, editor de Painel Político, consultoria e assessoria.
Related posts
Polícia

Homens que assaltaram joalheria em Aparecida de Goiânia são mortos em confronto com a polícia

Polícia

Antes de ser assassinada, professora temia pela segurança de amigos e reclamou da burocracia policial; ouça o áudio

Polícia

Ex-marido que matou professora à pauladas em Candeias pagou R$ 4 mil para ser solto; delegados se defendem

Polícia

No Paraná, alegando bulling, homem invade pensionato, ataca estudantes e deixa uma pessoa morta

Assine nossa newsletter e receba nosso boletim semanal

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Worth reading...
URGENTE: Maduro anuncia fechamento da fronteira com o Brasil