Vídeo de cão pegando ônibus no Paraná viraliza e agora ele só anda de carro; veja

Read Time2 Minutes, 21 Seconds

Leleco foi adotado em outubro de 2017 por um casal que o leva para baixo e para cima

O vídeo de um cão esperando um biarticulado na estação-tubo Ibajubá, no bairro Portão, em Curitiba, voltou a circular pelas redes sociais, nesses últimos dias. Pela narração das imagens, o Santa Cândida/Capão Raso passa pela canaleta, na Avenida República Argentina de minuto a minuto, mas a linha preferida do cão é a Circular Sul: ‘só entra nesse’, diz o cobrador.

Mas, o esperto Leleco – assim batizado – já está em outra há quase dois anos. Depois de viver nas ruas, nas proximidades dos Terminais Portão e Capão Raso, por um ano, ele foi adotado em novembro de 2017.

A protetora independente Fernanda Dias, que cuidou do Leleco durante o período nas ruas, contou sobre a época em que o vídeo foi gravado. “Esse vídeo é de quando ele morava na rua. Eu já cuidava da Princesa, que é uma cadela que mora no Terminal do Portão, e o Leleco apareceu. Passei a cuidar dele, também. O mais interessante é que eu coloquei uma plaquinha de identificação com meu telefone para caso acontecesse algo. Depois disso, passaram a me ligar dizendo que ele estava andando por Curitiba de ônibus, foi nessa época que o vídeo viralizou”, descreveu a protetora.

A internet fez a vida de Leleco mudar. “Ele foi super bem adotado por um casal de amigos, saiu das ruas, está gordinho, bonito. Esse casal é fantástico, passeiam bastante com ele. O Leleco anda por Curitiba inteira, mas não mais de ônibus. Agora, só de carro”, brinca ela.

Veja o vídeo:

Conscientização

A protetora finaliza fazendo um alerta importante à população, principalmente sobre conscientização. “É bonitinho, é fofinho, mas é algo que todos podem fazer alguma coisa. Compartilhar um vídeo de um cãozinho andando de ônibus é bonitinho, mas olhe para aquele que está lá na esquina da sua casa. Garanto que na rua de cada um tem um bicho precisando de algo, se cada um puder ajudar com algo, já estamos fazendo alguma coisa por eles”, acredita.

A guarda responsável também precisa ser discutida entre famílias. Há situações em que cães filhotes são levados para a casa, mas diante de viagens, crescimento e outros cuidados necessários acabam sendo abandonados. “Certeza que o Leleco já teve família, infelizmente, jamais saberemos que era. Quando você se disponibiliza a ter um bichinho, é preciso cuidar, não pode deixar andando na rua, não castrar, isso de forma alguma. As pessoas precisam ter consciências que não é só um cão, um gato. São bichos que precisam de atenção e cuidado”, finaliza Fernanda.

Com informações da BandaB

0 0
0 %
Happy
0 %
Sad
0 %
Excited
0 %
Angry
0 %
Surprise
Close