Empresário atirou contra si durante a realização do simpósio de gás natural na Orla de Aracaju.

Na manhã desta quinta-feira (4), o ‘Simpósio de Oportunidades – Novo Cenário da Cadeia do Gás Natural em Sergipe’, que acontecia em um hotel da Orla da Atalaia, na Zona Sul de Aracaju, foi cancelado após a morte do empresário do setor de cerâmica, Sadi Gitz.

Ele estava na plateia quando sacou uma arma e atirou contra si, logo após o pronunciamento do governador de Sergipe, Belivaldo Chagas. O próximo a falar era o ministro das Minas e Energia, Bento Albuquerque.

Sadi Gitz

O governo do estado de Sergipe emitiu uma nota lamentando o ocorrido com o empresário e confirmou o cancelamento do evento.

O Instituto Médio Legal (IML) foi chamado para recolher o corpo do empresário.

Atualmente Sadi Gitz estava na presidência da Cerâmica Sergipe Indústria e Comércio. Entretanto, nos últimos anos a empresa passou por momentos difíceis, tendo que demitir funcionários e anunciar um possível fechamento. Pessoas próximas ao empresário suspeitam que esses fatorem contribuíram para uma grave depressão, o que tinha motivado o suicídio.

Morte de empresário causou consternação

Gaúcho de nascimento, Sadi Paulo Castiel Gitz nasceu no dia 13 de novembro de 1948 e chegou a Aracaju em 1981, como diretor industrial da Cerâmica Santa Márcia.

Em Sergipe, ele recebeu pelas mãos do prefeito Edvaldo Nogueira, o título de cidadão sergipano por sua contribuição empresarial ao Estado. Sadi atuou, também, como presidente da Associação Comercial e Empresarial de Sergipe (Acese).

De acordo com informações do blog de Jozalito Lima, Sadi teria dito “governador, o senhor é um grande mentiroso”, logo após o discurso do governador Belivaldo Chagas logo após a abertura do evento. O empresário então sacou de um revólver e deu um tiro na boca.

De origem judia, era um empresário bastante conhecido em Sergipe.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *