Vítima de bilionário fugiu de ‘Ilha dos Pedófilos’ nadando com tubarões

Read Time1 Minute, 39 Seconds

Sarah Ransome, uma das muitas vítimas do esquema de tráfico sexual de Jeffrey Epstein

Sarah Ransome é uma das mulheres que testemunharam contra o bilionário Jeffrey Epstein, acusado de tráfico sexual de menores. Ela diz que fugiu de uma “Ilha de Pedófilos” controlada por Epstein nadando com tubarões.

Ransome concedeu entrevista ao tabloide britânico Daily Telegraph nesta semana. Hoje com 35 anos, a britânica diz ter sido levada para ilha de Little Saint James, nas Ilhas Virgens Americanas, no Caribe, quando tinha 22.

Leia também

Lá, a jovem teria sido estuprada por Epstein, que foi encontrado morto, em agosto, em sua cela na prisão em Nova York, onde aguardava julgamento. De acordo com a perícia, o bilionário se enforcou.

Sarah Ransome, uma das muitas vítimas do esquema de tráfico sexual de Jeffrey Epstein

A jovem chegou à ilha particular de Epstein em 2006, atraída por uma oferta de emprego. “Ele tinha como alvo mulheres que não tinham nada, que não tinham casa. Eu estava vindo de uma relação abusiva em Edimburgo, não tinha dinheiro”, disse.

Um dia, quando Sarah diz ter sido estuprada três vezes, ela decidiu fugir da ilha a nado, num mar infestado de tubarões. Câmeras de vigilância avistaram a tentativa de fuga, e funcionários de Epstein a levaram de volta à terra firme.

“Um tubarão poderia ser até o meu melhor amigo. Sequer pensei nisso, eu só queria estar longe”, disse Sarah, que teria passado meses na ilha. Ela é apenas uma das muitas mulheres que vieram a público relatar a violência sexual sofrida por Epstein.

O esquema de tráfico sexual do bilionário, que era amigo do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, e do ex-presidente Bill Clinton, teria durado por quase uma década. Além da ilha no Caribe, os crimes ocorreram também nas casas de Epstein em Nova York e na Flórida.

0 0
0 %
Happy
0 %
Sad
0 %
Excited
0 %
Angry
0 %
Surprise
Close